15 setembro 2015

What a wonderful world

Ou: Sobre um show maravilhoso
Ou: Um post cheio de parênteses e muitos "amor" repetidos por aí



Eu deveria começar esse post confessando minha mania louca de aumentar cada dia mais esse mundo obscuro da blogosfera com inúmeros blogs secretos por aí, mas, irei falar, ao contrário, que sou muito preguiçosa e amante da procrastinação. Também deveria começar esse post falando que voltei, porque aqui é o meu lugar, entretanto não o farei. Sucintamente, digo: voltei e ao que tudo indica o mundo não parou e, muito menos, acabou nesses exatos quinze dias que me vi cada dia mais distante de agosto. Sim, caros colegas e companheiros de cilada, não parece, mas já estamos no meio de setembro (Quando digo que já podemos fazer a lista de presentes de natal, não to sendo dramática). Agosto se foi e levou com ele todas as minhas forças e toda a esperança de um ano de 2015 maravilhoso; convenhamos, eu esperava que houvesse uma reviravolta desse estado de negatividade no segundo semestre, porém, contudo, todavia, alguma vez acertei na lata o destino dessa que vos fala? Pois é. O jogo não virou, dois mil e quinze promete (não) e ta tudo bem, tudo ótimo. Pelo menos finjamos.

Sei que gastei um parágrafo com algumas desnecessárias linhas pra falar sobre algo que não tem nenhuma relação com o assunto que vim falar, mas precisava desabafar. Me compreendam.


Enfim. Hoje é segunda (mentira, já é terça, mas não dormi ainda, então é segunda) e ontem, em pleno domingo, resolvi sair de casa. Sim, resolvi largar a minha cama quentinha em plena maratona de Star wars (resolvi assistir e não me arrependi, depois conversamos a respeito) para me dirigir a um shopping, mais especificamente um teatro, com o intuito de escutar o meu cd do momento. Apesar de muito relutar, depois de ler esse post da Thay, resolvi colocar a cara no sol e ir assistir ao maravilhoso Tiago tocar e cantar minhas músicas. Acontece que estou sem carteira de estudante, então tive que desbancar cem reais (leiam isso com a apreensão de uma pessoa pirangueira (eu)) para assisti-lo e por isso estava uma pilha de nervos.


Dizer que estava com altas expectativas é eufemismo. A última vez que havia ido a um show num teatro, fui assistir ao maravilhoso Marcelo Camelo e aquele show foi sensacional demais pro meu coração (tanto é que estraguei todas as gravações que fiz porque não conseguia não cantar junto com ele), ou seja, eu esperava algo no mesmo estilo ou que chegasse aos pés daquele momento. Veja bem, eu amo shows, amo a sensação de esperar as cortinas abrirem, amo escutar a voz original daquilo que amo escutar, amo ver que aquela pessoa que vive nos meus ouvidos existe mesmo e não é nenhum alienígena, então quando todas as luzes começaram a se apagar e ouvi o farfalhar do microfone, meu coração deu pulos de ansiedade, felicidade e não sei o que mais. Sabe quando se está apaixonado? Pronto, essa sensação. E quando as cortinas abriram e aquele homem maravilhoso, com todas aquelas luzes, começou a soltar aquela voz doce e melodiosa e maravilhosa, eu endoidei. Não me aguentei mais dentro de mim, cantei junto, dancei junto e me libertei completamente assim que ele nos convidou a levantar. Amei cada segundo, cada suspiro, cada 'lindo' gritado da plateia, cada olhar que o Tiago nos dirigiu e até as vezes que ele nos convidava a cantar e errávamos todos o tempo da música. E ele ria e eu ria com ele, porque aquilo só podia ser mágica.



E eu estava enfeitiçada por aquele moço de sorriso aberto, energia maravilhosa e voz sensacional. E que músicas. Como foi fantástico cantar cada uma delas com ele, com todas aquelas pessoas que estavam ali de livre e espontânea vontade, em pleno domingo, loucas pra ver amor em forma de palavras, de melodia e gestos. E viram, vimos. E foi lindo, foi de aquecer o coração, foi aquela sensação de abraço apertado, compreensivo, sabe? Ele existia, aquelas músicas existiam e a gente tava conversando, juntos, construindo aquela relação de amor, conexão intensa e verdadeira.

E só amar cada segundo do show não foi suficiente, porque ali eu percebi que ele era gente como a gente e me deu vontade de chorar (Sou dessas). Sim, Tiago é um ser humano assim como eu e você, completamente iluminado, é verdade, mas humano como nós e todas aquelas letras saíram de dentro dele, sabe-se lá por que, como ou quando. Ele fez aquilo tudo, ele teve o poder de nos tocar, de tocar nosso coração e nós ali naquele teatro éramos uma pequena amostra do resultado de tudo que saiu de dentro dele, de tudo que ele sentiu, de todas as vezes que ele parou e resolveu escrever, compor. De carne e osso, assim como nós, ele me mostrou que somos muito grandes, apesar de tão pequenos, me mostrou como podemos ser infinitos ao tocar a alma de alguém, como somos tão fortes quando fazemos e expressamos aquilo que amamos. Porque em toda uma hora e meia de show, eu tive absoluta certeza que tudo que saia da boca dele era amor, só podia ser amor e da gente saía a resposta pra todo aquele sentimento tão grandioso.

Que amor, que carinho, que doçura. Tive vontade de abraçá-lo lá fundo, no coração dele, tocá-lo e dizer que ele era um ser iluminado que foi capaz de juntar todas aquelas pessoas apenas para vê-lo tocar amor. Tudo por amor. E quer coisa mais bonita que isso? Sair em pleno domingo, oito horas da noite, pra ver, sentir e espalhar amor. Que vida maravilhosa essa a que somos capazes de amar e sentir o amor ao nosso redor. Se esse não é um momento feliz, eu não sei qual seria. (Não preciso dizer que superou todas minhas expectativas, né?)




(É notória minha habilidade em gravar vídeos. Não tenho paciência e fico louca pra cantar junto)

5 comentários:

  1. 2015 está sendo uma ano ruim mesmo, pelo menos para mim, quando acho que não dá para piorar, ele piora, honestamente tenho medo do que pode acontecer até o ano acabar.

    Agora, mas que amor de post, que vontade de estar lá também e ouvir amor <3 Acredita que ainda não ouvi o novo cd do Tiago Iorc, no momento decepcionada comigo mesmo, pois amo tanto as músicas do menino.

    ResponderExcluir
  2. Ai que linda! ♥

    Lendo seu post fui transportada pro show de novo, foi tudo isso que você descreveu e mais um pouco! Tiago é, de fato, uma pessoa iluminada e com amor exalando dos poros, haha. Só alguém com uma alma linda desse jeito para escrever músicas que são como um abraço quentinho.

    Fico feliz que tenha conseguido ir ao show! Pra mim também foi uma experiência inesquecível, é incrível o que Tiago consegue fazer só com a voz e o violão. ♥♥♥

    Beijo!

    ResponderExcluir
  3. Que delícia de texto, Bia! Amo relatos de show e o seu não podia ter sido mais fofo e apaixonado. Que bom que valeu a pena e que o Tiago tocou seu coração dessa forma! <3

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Acho que você estava precisando mesmo sair de casa nesse domingo e assistir esse show lindo. Que depoimento mais emocionado e emocionante Beatriz! <3

    http://naomemandeflores.com

    ResponderExcluir
  5. Que amor você escrevendo sobre o show, porque é assim mesmo ♥
    Ele é um amor de pessoa e o show dele é maravilhoso mesmo!
    Beijo
    http://www.deborabp.wordpress.com

    ResponderExcluir