11 agosto 2015

11/31 - Sobre um de meus dias sem graça

Ou: Como aproveito cada minuto da minha existência
Ou: Sou tão simpática, animada e emocionante que tenho vontade de chorar
Ou: O porquê de nunca ter narrado um dia todo meu antes


Passei o dia fora hoje, na verdade, toda terça passo o dia fora. Tem umas que acordo cedo, outras acordo tarde, tipo hoje. Acordei e cruzei os dedos pra minha irmã estar em casa dormindo, porque aí iria de carro, andar de ônibus em pleno pico do sol (13 horas da tarde), ainda ter que atravessar uma ponte nesse pico é demais pro meu bronze. Ela estava. Almoçamos, depois de mainha ter ligado aqui pra casa e eu ter acordado no susto, porque ela queria que eu fizesse o almoço (Amei). Saímos de casa no carro, que ta com um problema no ar-condicionado, a pessoa tem que andar com os braços abertos pra não suar, o que é meio inconveniente, mas nada comparado ao calor de um ônibus ao meio dia de Recife. Então abre os braços, finge que voa e agradece.

O percurso até o curso é onde eu e minha irmã mais costumamos conversar, terça passada falamos sobre a diferença entre moral e ética, acabamos discutindo. Hoje não lembro o que conversamos, sinceramente, provavelmente sobre como queríamos comer um temaki de salmão e como a vida anda engraçada nesse tempo louco de Recife (Inclusive acabou de chover aqui). Ou sobre como queríamos ter nascido milionárias pra não precisar trabalhar e nem estudar, apenas assistir e ler coisas.

Cheguei no curso cedo, sempre chego meia hora antes, porque Amanda gosta de chegar de 13 horas e 30 minutos no estágio, que fica mais a frente no percurso que fazemos. Como sou uma pessoa meio esquisita, não falo com ninguém no curso, eu até poderia porque tem muita gente lá, mas fico com preguiça e vergonha ao mesmo tempo. Então leio até chegar a hora de entrar na sala. To lendo "Palácio de inverno", já disse por aqui, e é maravilhoso esse livro. Tem vezes que fico jogando candy crush, to no nível 355 se não me engano, mas to naquelas fases que precisa pedir ajuda dos amigos ou jogar as missões, sabe? Acho um saco esse negócio. Mas enfim né, o jogo em si vale a pena, então relevo. Gosto principalmente de jogá-lo quando to fingindo que to muito ocupada, no celular sempre, fico triste quando as vidas acabam: vamo fazer um protesto pra termos vidas ilimitadas.

Fui andando pelo pátio até a sala, muita gente pra lá e pra cá, muita gente na minha frente e eu desviando dos grupos no meio do caminho. Fui passar, um garoto começou a conversar com outro e fechou meu caminho, pedi licença, mas acho que falei muito baixo, tipo aquela menina de Pitch perfect, porque ele nem virou a cabeça, ou seja, não ouviu. Daí meio que empurrei ele, aproveitei, tirei uma casquinha discreta porque tava de olho nele há um tempo pelo curso hehehehe, passei, escolhi meu lugar e sentei. A aula de matemática começou e foi um saco. Pulemos essa parte.

Na aula de redação, 18 horas da noite, morrendo de fome, a professora começou a falar sobre sustentabilidade e ética, notemos que minha professora sempre fala de ética. Depois ela passou um vídeo que, segundo ela, a inspirou a dar a próxima aula sobre Foucault. Depois de terminada a aula, ela foi nos contar a novidade: vai sair do curso no fim do ano e quase chorei, porque ela é muito especial e meio que nos abre os olhos pra realidade, sabe? Como ela mesma disse, a carregarei comigo para sempre e quando for atender um paciente, lembrarei dela e o tratarei diferente também por causa dela. Depois, teve redação presencial, ou seja, uma hora e vinte minutos pra fazer uma redação sobre a importância da educação para a saúde.

Meu telefone toca, Amanda ta me esperando na porta do curso para irmos pra casa. Fomos, tomei chuva (Melhor coisa do dia), estou aqui.



Almost everyday

2 comentários:

  1. Eu gosto muito de conhecer a rotina das pessoas, sendo assim, não é a toa que os vídeos que mais assisto no YT são os Daily Vlogs - que ficaram bem constantes de uns tempos pra cá. Sabe o que mais gostei no teu dia? A sensação de proximidade do meu próprio dia-a-dia. Sem grandes coisas acontecendo, só a simplicidade e a vida como ela é. Aulas chatas de matemática, professores se despedindo e deixando saudade, tomar chuva, só querer chegar em casa e dormir... Adorei! Acho que tu deveria fazer mais posts assim sobre dias aleatórios<3

    ResponderExcluir
  2. Poxa, eu não diria que é um dia sem graça. É muito louco pensar que enquanto estamos fazendo X coisas no nosso dia, tem mais um montão de gente fazendo todo tipo de coisa. Confesso que esse post mata um pouco da minha curiosidade sem limites haha Saudades de tomar banho de chuva, btw.
    Beijos

    ResponderExcluir