24 agosto 2015

24/31 - Acho que vou morrer hoje

Ou: Vida de uma (quase) hipocondríaca
Ou: Não, não deixarei nenhuma carta dizendo pra vocês aproveitarem a vida. (Meu testamento está com minha advogata Bruna)


Hoje acordei com uma dor esquisita próxima ao umbigo, meio em cima meio embaixo. Na verdade, não tenho certeza sobre como funciona essa dor e acho que por isso ainda não fui ao médico. Pra deixar claro, eu amo médicos, amo hospitais, amo fazer exames e talvez por isso queira tanto medicina né, mas enfim. E odeio sentir dor, odeio não saber lidar e nem entender minhas dores. Dia desses tava com uma dor dentro da cabeça, não uma simples dor de cabeça que todo mundo tem, e tive uma vontade enorme de ir pro hospital, me esgueirar pelos cantos, pegar uma farda de enfermeira/médica/qualquercoisaquemedeacessoasaladeexames, enganar alguém e fazer uma tomografia pra ver se tava tudo bem com meu cérebro.

Teve outra vez que passei mais de uma semana com dor de cabeça e cheguei beeem perto de fazer uma tomografia, o que me deixou bem feliz. A neurologista me dizia: "Se a dor não passar, fazemos uma tomografia" e eu por dentro: "yaaaaay", por fora: "Nossa, espero que passe". Minha mãe que odeia e morre de medo de hospitais e qualquer coisa estranha relacionada ficou lá: "vai passar com certeza". Só pra vocês terem ideia, minha mãe ouve a palavra cirurgia e seu primeiro instinto é dar na cara do médico e sair correndo daquele "açougue". Até hoje minha irmã tem os troços da adenoide, porque mamis querida disse que renega minha irmã se ela resolver fazer essa cirurgia, nem unha encravada a mulher quer tratar, afetada e traumatizada sim ou claro?  (Acho que ela nos teve por cesariana com muito desagrado, porque aqueles negócios (nós) tinham que sair de dentro dela de algum jeito, né? aí ela fez o "mais fácil" aparentemente).

Acabou que a dor passou logo depois de tomar um remédio bem forte na veia e nem fiz o exame, fiquei triste novamente, mas vida que segue. Hoje em dia, acho que um dos meus sonhos ainda é fazer essa tomografia, sei que isso é loucura e provavelmente to falando besteira porque não tenho nenhum problema - que eu saiba - no cérebro e to arranjando sarna pra me coçar. Mas é que o cérebro é tão frágil, tão tão que nem tenho palavras pra descrever que tenho uma necessidade de ver se ta tudo certo lá dentro. E não ter absoluta certeza me deixa angustiada.

Um tempo depois percebi que nem todo mundo é assim e a maioria das pessoas que é são chamadas hipocondríacas, coisa que não sou, deixemos logo claro. Só tenho um certo cuidado com meu corpo e gosto de saber que ele está em sua melhor forma. Às vezes fico pensando que seria ótimo eu me formar médica logo, criar meu hospital, ser dona dele e poder fazer todos os exames que eu quiser na hora que eu quiser. Provavelmente vou ficar louca, então as chances de eu ter um hospital serão mínimas, para o meu bem e da humanidade em geral, convenhamos. Mas que seria o máximo seria, né? Sei que a realidade é bem diferente de Grey's anatomy, mas não consigo parar de imaginar isso tudo. (Eu acho que com todos esses exames, o hospital não duraria muito e nem eu né, com todas as radiações)

Entretanto, estamos no presente e esse presente não possui nenhum hospital chamado de (ainda é surpresa), foquemos, portanto, no agora. E esse agora ta meio desanimador, porque em cima/embaixo do meu umbigo ta doendo bastante nesse exato momento. Já procurei no google o que poderia estar causando essa dor e as notícias não são confortadoras. Talvez seja pancreatite, apendicite (o que é louco porque sei que a dor é do lado direito), úlcera e só piora. Então cheguei a conclusão que estou no fim da minha vida, me restam poucos minutos, segundo o google. O que me deixa meio desesperada, mas aí depois lembro que é só o google e essa mania megalomaníaca de pensar que tudo é muito maior do que é e que talvez essa dor seja só a minha intolerância a lactose avisando que "ó esqueceu que existo? PARA PARA DE COMER LEITE". Ou talvez eu vá morrer mesmo, então cês já sabem, se eu não aparecer por aqui não se incomodem, porque morri.




Obs: Sei que parece que estou com flatulências aka gases, mas juro que não é isso [Já tentei um remédio e não passou (Provavelmente eu não deveria dizer que tomo remédios sem indicação do médico, então finjam que não leram isso)]
Obs: Relevem esse texto, porque cês não têm ideia de como dói essa dor e sintam-se abraçados porque esses são meus últimos minutos de vida e resolvi escrever aqui nesse tempo ah

Nenhum comentário:

Postar um comentário