14 novembro 2014

2 tags em um só post - Versão 2

Ou: Taylor Swift book tag e one lovely blog award


Se tem uma coisa que eu amo fazer é responder tags/memes (não sei a diferença entre e sempre tive preguiça de pesquisar), isso porque minha mente, nada criativa, tende a ficar em um buraco negro perdido no espaço, onde a criatividade e a disposição e a vergonha na cara ficam escondidas lá, longe de mim. Vejam bem, nunca menti pra ninguém dizendo que sou uma "blogueira" exemplar, opsss longe da realidade. Por isso amo tanto tags/memes, porque eles resgatam minha mente desse buraco negro e me tornam mais produtiva, porque SIM.

E, como boa pirangueira E preguiçosa que sou, irei juntar duas queridas tags indicadas pelas queridas Duda, do Bonsoir Duda (que quase obriguei a a me indicar, sou dessas)  a Ana, do Não Perguntaram e a Tati do Novembro Inconstante, respectivamente.  Obrigada, meninas, vocês são demaisss.

A primeira é sobre livros misturada com Taylor Swift, porque simmm. Achei tão maravilhosa essa ideia, sério, fico impressionada com a produtividade dessa galera que resolve usar sua genialidade pra o bem e pra coisas maravilhosas. Enfim, a tag é original do youtube, só que não sou de câmeras, então que nos contentemos com palavras escritas. Segundo a Duda (to te chamando assim cheia das intimidades porque também sou dessas), ela viu primeiro no canal da Melina e ela consiste em listar um livro de acordo com a música e as características de cada música da Taylor. Que comecem os jogos: 



Red (escolha um livro com a capa vermelha): Fiquei em dúvida entre dois, Por isso a gente acabou e Laços de Sangue, mas no fim das contas meu coração escolheu por mim, então Laços de Sangue, mil vezes Laços de Sangue. To repetindo tanto esse nome que até parece que o adoro, mas é justamente o contrário. Eu sempre acho que as editoras são injustas demais com a Richelle, porque os livros dela são as coisas mais horrorosas, na questão visual (capa), mas em compensação são completamente e insanamente viciantes por dentro. Além disso, não gosto dos títulos deles. Porém, contudo, todavia, não se deixe enganar pelo vermelho sangue (AHA que sugestivo tandan), pela fonte esquisita e etc, esse livro e Adrian são sensacionais demais. 

We Are Never Ever Getting Back Together (um livro ou série que você estava amando, mas que depois você decidiu que queria "terminar" com ela): Com toda e absoluta certeza, Divergente. Li o primeiro e amei, li o segundo e foi mais ou menos. Estava esperando o terceiro por motivos de terminar a série né, masssss peguei um spoiller do tamanho do mundo com a Irena e simplesmente brochei. Fiquei tão chocada/indignada que já to pensando em trocar os dois livros no skoob. Sério, triste fim de policarpo quaresma ): 

The Best Day (um livro que faça você se sentir nostálgica): Eu amei tanto esse livro quando li na escola e fiquei totalmente incrédula quando os coleguinhas da sala me disseram que o acharam chato. Gente, achei tão genial, e eu tinha 14 anos?, fiquei pensando nessa história por muito tempo e agora, toda vez que o vejo na estante, tenho vontade de voltar no tempo pra aquela época da vida maravilhosa (que eu nem me dava conta). E to precisando reler, por motivos de saudade, Vinte mil léguas submarinas. Te amo professor querido que colocou esse livro como paradidático!!! 

Love Story (um livro com uma história de amor proibida): To aqui tentando me lembrar de um entre tantos, o único que vem na minha mente agora é Garotos Corvos da Maggie Stiefvater por motivos de se ela beijar seu verdadeiro amor, ele morre, gente. Quer um amor mais proibido?? Trágico demais. E to tentando diversificar um pouco isso aqui, porque eu poderia ter colocado Laços de Sangue, Academia de Vampiros e Cidade dos Ossos, mas não quero repetir livros já ditos aqui ou antes em alguma tag. (Embora seja difícil). 

I Knew You Were Trouble ( um livro com um personagem mau, mas que apesar disso, você não conseguiu resistir e se apaixonou por ele): Eu tenho uma relação de amor e ódio com Heathcliff, de O Morro dos ventos uivantes. Enquanto eu lia, eu tinha uma vontade insana de abraçá-lo, porque coitado né, muito sofrimento pra uma pessoa só, e depois de batê-lo, porque ó criatura burra. Mas, no fim, eu ficava mesmo era com dó e tinha vontade de pegá-lo no colo apesar de todas as maldades e loucuras dele. 

Innocent (um livro que alguém estragou o final para você): Se fosse série, eu teria várias, porque minha irmã é especialista em soltar spoillers, mas ela não costuma ler os mesmos livros que eu então não tenho nenhum pra essa opção. 


Everything Has Changed (um livro em que o personagem se desenvolve bastante): Fangirl da Rainbow Rowell. A Cath começa de um jeito bem introspectivo, bem tímida, sem nenhum amigo, sem sair do quarto, comendo barrinha pra não ir pro refeitório e, no fim, tudo muda. A gente sente o crescimento dela ao longo do livro e é muito lindo de se ver, ao mesmo tempo que é muito identificável. Dá uma vontade de escrever na pele, abraçar e carregar pra sempre comigo. Dá um orgulho de ver, de sentir e etc, como se ela fosse eu. (Tamo junta, Duda) 

'Menção mais do que honrosa: A lista de Brett

You Belong With Me (um livro que você está ansiosa para que seja lançado e que você possa ler): To simplesmente maluca esperando Silver Shadows da Richelle Mead, sério, to me segurando muito pra não ler em inglês, mas quero completar a coleção, por isso não vou ler, to me segurando to me segurando. Mas, além dele, porque já falei dessa série, também to doida pra ler Anexos da Rainbow Rowell, pelos mesmo motivos não li ainda em inglês.

Forever and Always (o seu casal literário favorito)
Não há como não ser repetitiva nessa categoria, em todos as tags sobre livros que existem essa opção, acho que coloco esses dois. Meus amores, meu ship máximo, Elizabeth Bennet e Fitzwilliam Darcy de Orgulho e preconceito. Amo tanto esses dois que hoje mesmo, enquanto lia Emma também de Austen, só conseguia me lembrar da supremacia Darcyana (se é que essa expressão existe), e fiquei com uma vontade imensa de reler e rever o filme mais uma milionésima vez. Meu Darcy para sempre.

Justamente isso.

Come Back, Be Here (escolha um livro que você não gosta de emprestar por medo de nunca mais voltar): Eu empresto todos os meus livros, menos A culpa é das estrelas, como já disse aqui

Agora, a segunda tag que consiste em conhecer mais a pessoa que vos fala e a história do bloguê. Ana e Tati, obrigada de novo!!!!!!!!!!

Por que decidiu criar um blog e quando começou? 
Eu criei porque era péssima em redação, daí resolvi que eu precisava praticar esse meu lado. Além disso, eu sempre tive uma veia "escritora", adorava rabiscar uns versos e essas coisas. Então, criei faz uns cinco/seis anos. Só que já mudei inúmeras vezes de nome e url, tomei realmente o gosto com o Deixa Molhar em meados de 2011 pra 2012 por causa do término de um namoro, quando eu era muito produtiva, creiam, tristeza sempre tem um lado bom e, pra mim, é o criativo. Adoro liberar a drama queen que existe em mim. (A maioria desses posts está em rascunho, você não vai encontrar aqui)

Quais benefícios o blog te traz? Inúmeros. Eu conheço gente que pensa igual a mim, me identifico, não me sinto tão sozinha no mundo com esse meu jeito meio peculiar. Descubro posicionamentos diferentes, trabalhos incríveis, pontos de vista que me transformam. (Mesmo que eu seja muito tímida pra me socializar adequadamente com vocês que me leem e são tão sensacionais)

Qual é o post mais acessado? Tenho um orgulho danado de dizer que é o Não fui de saia, que conta um pouco sobre a minha indignação com o machismo, infelizmente, de cada dia. De modo simplório, conto minha experiência com o carnaval e meu traje escolhido pra a festividade, com um pouco - muito- de indignação, desprezo e etc. 



Você usa redes sociais? Uso pra meu meio social e particular (?) hahaha. E nesse meio, posso ser chamada de a louca das redes sociais, porque tenho quase todas. Além desse aspecto, às vezes, penso em ser uma "blogueira" modelo e penso em fazer uma página pro blog, mas daí penso nas inúmeras pessoas que conheço visitando isso aqui e morro de vergonha. Então, deixo pra lá.

Como o blog tem evoluído? Olha, ele tem evoluído de modo proporcional ao que venho evoluindo, eu acho. Com certeza, não sou a mesma pessoa desde 2011/2012, então, consequentemente, ele também não é o mesmo. E espero que isso continue. 

Já viveu algum fato importante por causa do blog? Também nada específico, assim como a Ana. E, imitando-a mais uma vez, digo que só por compartilhar meus textos e etc aqui de forma mais leve e descontraída, já considero uma coisa muito importante pra mim, que sou uma tímida de galocha.

De onde nasce a inspiração de escrever e continuar o blog? Nasce da vida. Às vezes to sentada no ônibus e vem uma coisa pra escrever, as coisas que acontecem comigo também me instigam, fatos importantes, filmes, livros que leio e assisto. Coisas da vida, tudo muito programado e esquematizado, só que não. 

O que você tem aprendido a nível pessoal e profissional esse ano? Que eu não sou Peter Pan e preciso crescer. Ou seja, preciso acompanhar meu crescimento biológico com o mental e tal, uma luta diária se querem saber. 

Qual a sua frase favorita? To numa fase meio libertadora de amarras (ou to tentando) e, por isso, quando li A lista de Brett e tinha uma passagem lá com a seguinte frase de Eleanor Roosevelt: "Todos os dias, faça algo de que você tenha medo" eu fiquei completamente apaixonada. 



Qual conselho você daria para quem está começando agora no mundo dos blogs? Se diverte e seja sempre você. Clichê, eu sei. Sei lá, sou péssima nessas coisas. 

O que os blogs que você vai indicar tem em comum? São todos maravilhosos porque são feitos de coração aberto e alma lavada. Vou indicar a Duda, como forma de agradecimento (Beijosssss), a Ana do Vírgula Assassina e a Paloma do Following the snow.
Só pra deixar claro, fico com receio de indicar alguém e a pessoa odiar ou sei lá, sempre fico, por isso quem quiser fazer, além das meninas, sinta-se indicado, mas não esquece de me dizer pra eu dar uma olhada, ok?? 

Observação: Gifs/fotos totalmente aleatório(a)s ao meu bel-prazer, porque yess. 
Observação²: Muitos parênteses pra pouca bia, sintam o drama.