04 setembro 2014

Perfection is a disease

Nunca fui de me arrumar muito. Tava até pensando aqui com meu botões, por causa de um tal de desafio de foto sem maquiagem, que eu seria incapaz de fazer um desafio desses, não porque não vivo sem maquiagem, mas porque simplesmente quase nunca uso. Não vou dizer que não uso, porque mentiria, mas só uso quando tenho uma festa pra ir e to suuuuper inspirada, daí gosto de fazer arte mesmo. Então, uma foto sem maquiagem seria uma foto minha normal, como eu sempre estou.

Recebo até bastante reclamação de meu querido amigo Rodrigo, porque ele vive me dizendo pra colocar uma base, um batonzinho pelo menos, ele me diz bastante pra me arrumar mais e basicamente diz que estou solteira por isso. Caso me arrumasse mais, eu teria um harém, pelo jeito que ele fala, ao meu redor; o que, tenho certeza, não seria o caso. Já discutimos muitos por causa disso, acreditem. Enfim, às vezes me pergunto se saio mesmo muito destrambelhada, principalmente quando vou pro curso e vejo umas meninas super produzidas ou, nem preciso ir muito longe, vejo minha irmã acordando mais cedo pra fazer chapinha e se maquiar. Já cogitei fazer isso, admito, mas nunca fui muito longe, já que amo dormir e 5 minutos fazem, sim, uma diferença enorme na minha vida.

Não to dizendo que quem se maquia não dá valor ao seu tempo, longe disso, tenho até uma invejinha de quem tem a coragem de se maquiar, porque só de ver colocarem aquele monte de coisa no rosto fico com uma preguiça do tamanho do mundo, porque só penso na hora de tirar.  (Quando vou pra alguma festa, volto e chego em casa e eu não tiro maquiagem nenhuma, porque eu não tenho coragem de ficar esfregando aquilo tudo e etc e tal, ou seja, minha pele agradece por eu quase nunca usar né). Mas, apesar disso, eu adoro um batom vermelho e, às vezes, acordo querendo arrasar, daí o coloco e também uma base, um rímel, blush e tudo o mais que tenho direito. Simplesmente por estar a fim. Só que pra ir pro curso, essa vontade nunca surge em mim, e lá as meninas sempre estão super produzidas, lindas e tal; daí, hoje mesmo, eu estava sentada observando as pessoas no meu intervalo do estudo e percebi que eu tava muito desarrumada em comparação com todo mundo e fiquei meio assim, me perguntando se tudo o que falam não é verdade, se não seria muito melhor eu me arrumar mais e tal. Aí começam a surgir as inseguranças, os medos se não to fazendo tudo errado, se pra ser bonita eu não precisaria ser igual a todas elas, ou, precisaria tentar disfarçar um pouco meus defeitos, tipo, minha sobrancelha com falha, minhas olheiras e minhas sardas. E caso eu não controle esses pensamentos, acabo caindo num looping de indagações acerca da minha beleza em comparação com fulaninha de tal ou Gisele Bundchen. Nada saudável, se querem saber.


E é aí que está o problema. Acho que as coisas deixam de ser saudáveis quando eu começo a me comparar com outras pessoas, ou quando qualquer um começa a fazer isso. A questão em si não é a maquiagem, acho que vai muito além disso. O problema não é usar maquiagem, o problema é fazer dela um refúgio, um esconderijo de todos os medos que estão dentro de mim/da gente abafados pelo uso de algo com o intuito de que os outros me achem mais bonita/mais legal e, por isso, me aceitem. E esse tema é muito pertinente, porque é muito atual, é muito comum a gente se esconder dentro da gente e criar uma máscara pros outros, uma máscara que nos proteja e nos faça sermos aceitas por determinadas pessoas ou grupos, porque determinada fulana é a tal e eu tenho que ser igual a ela. Por isso, maquiagem - ou a falta dela - é um problema quando é desculpa para alguém não gostar de você, quando é desculpa pra você ser dependente dela psicologicamente, sem se aceitar do jeito que se é. Somado a isso, ainda surge aquele pensamento/desejo diabólico que nos é encucado, de querer ser aquela modelo "perfeita/perfeito" que tem barriga zerada ou aquela panicat que tem a bunda do tamanho do mundo, mas o que não nos passa na cabeça é que essa pessoa "perfeita" nunca será perfeita; na verdade, ninguém nunca será. Essa é a questão. Não existe um padrão de beleza, não existe a deusa da perfeição, porque a beleza está naquilo que é diferente, arrisco ainda dizer, que ela está naquilo que é, justamente, imperfeito.

(Esse assunto me traz muitas coisas na cabeça: My mad fat diary, que todos deveriam assistir, porque fala exatamente disso, de aceitação e de um clipe recente da Colbie e do John Legend, encontrem abaixo.)

Então, sem mais delongas,  acho que usar maquiagem é muito saudável, sim, dependendo do porquê você a está usando, o que não vale é desistir de si mesma pra ser algo criado, artificial. Por isso, gostaria que o desafio da foto sem maquiagem, num sentido mais amplo, fosse todo dia ao olharmos no espelho, gostaria que o que importasse mesmo fosse o que você vê ali na sua frente, sem borrões, sem desculpas, sendo de cara lavada ou não. O que importa não é como a gente está no exterior, mas como a gente tá por dentro.  É isso. A beleza está em sermos nós mesmos, não importa se eu esteja com salto alto, calça estilo boyfriend, cabelo tocando o chão, com maquiagem ou sem nenhuma. O que importa é se por dentro eu estou feliz por ser eu.






Obs: Esse post faz parte da blogagem coletiva do Rotaroots. 
Obs2: Talvez tenha ficado um pouco confuso, porque esse é um assunto que me inspira muito, ou seja, são muitas coisas pra falar, depois, talvez, eu faça uma versão dois ou só atualize mesmo. 
Obs3: Coloquei Beyoncé, também, em homenagem a um post que comecei a fazer sobre ela e o feminismo, to muito produtiva esse mês. Choremos juntos. 

8 comentários:

  1. Olá Beatriz :)
    Gostei muito do seu texto. Inclusive fiquei pensando que eu poderia ter escrito exatamente igual, porque minha relação com a maquiagem é EXATAMENTE igual à tua, e minhas inseguranças idem. Inclusive tenho uma irmã que acorda cedo pra fazer chapinha e passar maquiagem E gente que fala que só sou solteira porque não uso maquiagem.
    A única diferença é que eu também não tirava maquiagem, mas comprei um demaquilante tão bom ~merchan~ que tira rapidinho, daí perdi a preguiça, hahaha.
    Enfim, concordo com tudo o que você disse e achei seu blog lindo!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Essa coisa de comparação nunca dá certo... a gente tem que aprender a gostar de nós mesmos, do jeito que somos, sem comparações. Eu sei, é super difícil, ainda mais quando estamos rodeados de pessoas "perfeitas". Eu quase não uso maquiagem também e adoro minhas sardas (e curto uma olheira também, devo confessar). Imagina que porre seria se fôssemos todos iguais!

    ResponderExcluir
  3. Adorei o texto e deu pra entender sim rs.
    Eu também sou dessas que tem preguiça de acordar cedo pra se maquiar e tudo mais, sempre penso que se não fizer isso posso dormir mais. Além de ter que tirar a make, outra preguiça. Mas acho que é exatamente isso que você falou sobre não nós compararmos com os outros, acho que isso acontece demais, de achar fulano mais feio ou mais bonito, ou até mesmo de querer se encaixar em algum grupo ou algo do tipo.
    Acho que a mudança mesmo tem que acontecer na nossa mente e jeito de pensar, assim vamos mudando aos pouquinhos e a make não vai fazer tanta diferença :)
    Beijos
    http://www.deborabp.wordpress.com

    ResponderExcluir
  4. Eu vivo maquiada, em partes por amar cosméticos, em partes por não ter segurança com a minha pele aparentando algumas acnes. A sociedade cobra, principalmente de nós, mulheres, um padrão perfeito, e a maquiagem está inclusa nisso. Se você não usa é desleixada (a não ser que você seja a mulher mais linda do mundo, com a pele perfeita, os cílios longos e lábios corados). A maquiagem esconde as imperfeições e isso é além do estético, na minha visão pelo menos, eu tive épocas que mal me via de rosto limpo, por preguiça de limpar, por preguiça de me aceitar. Hoje não durmo sem lavar bem o rosto e dar uma checada, não é do dia pra noite, mas tenho aprendido a gostar de mim sem base, pó, rimel, blush e batom. Quase sempre, pelo menos. Mas sair de casa não. Alguns truques nos fazem passar uma imagem de "ela quase não se maqueia". Mentira, são quilos de base, são horas de tutoriais no youtube, são rios de dinheiro com produtos que prometem a pele perfeita. Maquiagem se tornou uma peça de roupa, sem ela me sinto nua, embora eu tenha começado um tratamento pra minha pele (que no fundo nem é tão ruim assim), e ela esteja a cada dia mais limpa algo ainda me faz levantar todo dia 40 minutos antes para arrumar o rosto (e o cabelo, que é liso, eu sei, mas e dai?). Gostei da campanha que ta rolando, detestei o rumo que ela tomou. Mas tudo bem.
    Acho que meu comentário ficou confuso, espero que dê para entender.

    http://www.novaperspectiva.com/

    ResponderExcluir
  5. Totalmente apoiada! Também não sou nada contra usar maquiagem, mas que realmente o problema é quando ela se torna refúgio. Eu costumava usar maquiagem quase todo dia (era só rímel e uma base na parte das olheiras), mesmo sendo pouca coisa de uns tempos pra cá comecei a achar meio sem razão, minhas olheiras não são assim tão fortes, e, como você disse, o importante é o que está no interior, usando esse pouquinho de maquiagem ou não, isso não me mudava por dentro. Por isso cansei dela e uso só mais pra festas e coisas assim. Se comparar com os outros também considero não ser saudável, até porque a beleza de cada um aparece a partir das suas singularidades. beijos!

    ResponderExcluir
  6. Primeiro preciso dizer que amei demais esse layout. É exatamente meu tipo preferido de layouts, tá muito lindo.
    Olha, tenho muitos sentimentos e opiniões a respeito desse assunto. Acho positiva uma campanha que tenta normatizar nossas imperfeições, mas acho que o discurso dela acabou meio extraviado. Demora, sabe? Demora até alguém se aceitar e não é culpa dessa pessoa. Existem diferentes níveis de insegurança e de "imperfeição". Tem gente que tá muito mais dentro do padrão e consegue se olhar do espelho de cara lavada e sair na rua com muito mais facilidade. A culpa não é de uma nem de outra. Tem uma estrutura muito grande por trás disso, uma construção social enorme. Então por mais que seja muito bonito falar "bora sair todas sem maquiagem", é meio culpar a vítima. Porque não é culpa dela que ela seja insegura com a própria aparência já que viveu a vida toda tendo que seguir um padrão e sendo bombardeada por ele. Acho que a mensagem tem que ser muito mais de aceitação e de mostrar os defeitos reais. Não só "não usar maquiagem é muito mais legal", como acabou parecendo na campanha.
    Concordo muito com seu post, só quis problematizar um pouco porque esse aspecto da campanha tem me incomodado.
    Beijo e estou esperando com pipoca seu post sobre a Beyoncé.

    ResponderExcluir
  7. eu já tava querendo escrever algo sobre esses #semmake e seu texto me inspirou mais ainda...
    me identifiquei muito contigo. uso maquiagem de vez em quando, mas nada exagerado - nem mesmo em festas grandes, à noite -, sei lá, gosto da minha pele respirando hihi
    ps: mas adoro batom vermelho

    acho que é por isso que também não entrei nesse desafio, porque as pessoas não notariam diferença nenhuma hahaha
    pra ir pro curso ou pra coisinhas do dia-a-dia eu não passo nadaaa... até porque meu curso de sábado é o dia todo, então me daria muito ranso ficar com aparência craquelada ou de massa corrida no rosto durante quase 12 horas @_@

    quando saio com meus amigos gosto de passar um rímel, batom, às vezes até um pó compacto, mas que dá uma leveza ao chegar em casa e tirar tudo isso, AH, DÁ! hahahah

    discordo de você quando disse que é por não usar maquiagem que não tem namorado. se for pra estar com alguém que ligue mais pro seu blush ou sombra cintilante, melhor não ter mesmo, e viver a vida numa boa até esbarrar com alguém que aceite suas olheiras de segunda-feira tranquilamente ^-^

    o fato é que maquiagem não é ruim. é um tipo de arte, na minha concepção. tem gente que sobrevive disso e realmente é apaixonado por esses estojos e pinceis e etc... o problema tá na relação de dependência que algumas pessoas tem com isso, a ponto de não sair de casa de cara limpa. fico feliz por não ser neurótica! hahahh

    www.pe-dri-nha.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Sei lá, acho que como não é comum que caras usem maquiagem, talvez eu nem tenha como falar muito disso. Mas sei que o assunto vai muito além da maquiagem em si. Eu uso preto olho, ás vezes. Mas se não usasse, não teria um Rodrigo dizendo que eu deveria. Muito pelo contrário. Eu escuto o tempo inteiro que maquiagem é coisa de viado. É estranho como o certo e o errado são relativos, socialmente falando.
    Sou um cara visual e supervalorizo a beleza, então você nunca vai me ver aderindo a uma campanha de abolição dos "padrões" de beleza ou de "seja quem você é" e todo esse bla bla bla. Mas ao mesmo tempo, a beleza É uma questão de gosto, e realmente não é saudável que as pessoas estejam tão mal por aí por causa do julgamento visual de terceiros.

    ResponderExcluir