30 agosto 2014

Novos ares e quase duas décadas

Tava aqui pensando em algumas coisas da vida, na verdade, esse mês foi bem reflexivo. Mas, toda vez que vinha aqui, eu queria me jogar na parede de tão enjoada que estava daquele antigo layout, entendam. Por isso, vai fazer 2 meses que não posto. Estava tão sem criatividade pra criar algo pra colocar aqui que fui adiando, adiando, até que não aguentei mais, tomei vergonha na cara e tentei fazer algo simples. Primeiro, fiz um layout bem sombrio, achei bem chic se querem saber, mas minha irmã disse que eu estava parecendo uma gótica, coisa que não sou. Então, parti pra outra ideia, péssima que sou com (ou sem) elas, decidi ir pra um lado mais vintage, porque precisava mudar isso aqui e a única coisa que me passava na cabeça era aquarela, estou num caso de amor com aquarela, vejam bem. Só que eu queria uma nova vida pro blog, queria que fosse totalmente diferente, o que nem foi de verdade, já que fiquei com preguiça, mas decidi ousar e colocar o plano de fundo "colorido".  E, aí deu nisso. Ainda não sei se gostei, to pensando, mas vai ficar assim por enquanto porque não pretendo abandonar meu blog só por causa do meu enjoo com um layout. Depois, quem sabe, retorno e do umas melhoradas, mas por enquanto é só e está bom.

Na verdade, sem querer, o novo design tem tudo a ver com essa minha nova fase. Uma pitada de vintage com cores quentes pra me deixar bem à vontade com os meus mais novos dezenove anos, que nem chegam a ser velhos como vintage deveria ser, mas é o mais velho que consigo estar, por enquanto, e demonstra essa minha vontade de crescer, de me tornar mais madura. Estou numa fase que anseia desesperadamente por crescer, acreditem em mim, já era aquela minha história de peter pan, pelo que parece, estou querendo, agora, ter corpo de 18 com mente de 60, sim, anseio por sabedoria já. Tava até dizendo pra Yeda, dia desses, que tudo seria mais fácil se existisse um botão que ligasse em nós tudo que precisamos como, por exemplo, ser mais maduro, ser menos tímido e etc. Só clicar e pronto, feito. SONHO MEU.

Isso se chama ansiedade, atropelar o carro com os bois. Venho trabalhando bastante isso na terapia, porque acaba que eu só vivo e vivo esperando o fim, o resultado e esqueço de curtir a jornada. O que é totalmente precipitado e típico de gente jovem, por isso, o vintage. Quero ter a sabedoria de ser mais eu nesse momento, sem pensar muito no amanhã, quero ser menos precipitada, pensar mais, amar mais, não perder oportunidades só porque esqueci de me dar conta do derredor. Só porque esqueci que as coisas não giram ao redor do meu umbigo e que conseguir algo não se trata de ir lá e pegar, mas de conquistar. O que me lembra dessa frase, minha nova filosofia de vida, "It's not about the destination, it's about the journey. Enjoy the ride".

 Enfim, só queria dizer que as coisas estão mudando, eu estou mudando, segundo Yeda, sou outra pessoa desde que entrei na terapia e eu sinto isso, sinto que as coisas estão se encaixando, tudo está encaminhando pro lugar certo. E eu estou crescendo e não está sendo tão ruim como pensei que seria. É devagar. Meio desapontador, na maioria das vezes, mas, no fim, é bem acolhedor.

A propósito, minha nova palavra favorita é: Esperança.




3 comentários:

  1. também sou super ansiosa. mas no meu caso é o contrário: penso demais em qualquer coisa. btw, adorei layout, as cores, é tudo simples mas bonito. acho que esses layouts que fazemos nós mesmas são os melhores porque acabamos colocando um pouco de nós.
    beijos.

    ResponderExcluir
  2. Cê sabe que eu também sofro muito com essas ansiedades?
    Acho que já comentei isso com você, mas teve uma época, que eu tava tão descontrolada que eu desmaiava por nada, ai o médico todo lindo me olhou e falou que era crise de ansiedade, mas olha só.
    Se isso te conforta: eu amei o layout novo, ta vintage, ta lindo!

    Novembro Inconstante

    ResponderExcluir
  3. Eu gostei das mudanças por aqui Beatriz... Às vezes a gente precisa mudar nosso "entorno" para que ele acompanhe as nossas mudanças internas, não é verdade? E super me identifiquei com esse lance da ansiedade... Vivo numa luta diária contra ela!

    ResponderExcluir