17 dezembro 2013

Coisas que me fazem levantar feliz pela manhã


Medicina: Nunca tive tanta certeza sobre algo na minha vida. E eu sei que, independente de quantos anos, dificuldades que estão por vir, nada me faz e fará tão feliz quanto exercê-la. E saber disso, mesmo que seja difícil, é o que faz meu coração palpitar todo dia. É o que me arranca sorrisos, esperança, amor e sonho.

Estar com minha família e amigos: Não há nada como a gente se sentir pertencido e amar aqueles que estão conosco em todos os momentos. Não há nada como ver o sorriso de orgulho do seu pai/amigo/irmã quando você conquista algo. E os abraços demorados, as conversas motivadoras, as críticas, as piadas sem graça, o olhar de compreensão, de amizade, amor.

Livros: De todos os tipos, mas preferencialmente os bons. Aqueles que me fazem larga-los no meio da leitura, porque não me aguento em emoções pra depois de alguns minutos de libertação, voltar a ler. Aqueles que me arrancam lágrimas, sorrisos e me deixam mais completa. Os que me fazem lê-los sem parar até pra dormir. 



Assistir meus filmes e séries favoritos: São eles que, normalmente, também, me trazem lições, sorrisos inesperados, choros descontrolados. Me fazem torcer por determinado personagem, me fazem amá-lo e sofrer junto com. Me distraem da minha própria vida, me transportam, me intrigam. Semelhantes aos livros, eles me distraem, me acompanham, me ensinam e etc. 

Escrever: Mesmo que eu, às vezes, não entenda o que ou por que, escrever é libertador. É derramar-se em palavras, é o transbordar dos sentimentos, da confusão, da felicidade. É pra acalentar a dor, pra tentar diminuir-se, espalhando-se. E me alivia, me mostra o quão humana sou. 

Deitar com os pés molhados: Desde pequena, tenho uma mania antes de dormir: Alisar meus pés por alguns minutos no lençol fofo. E isso fica melhor quando meus pés estão enxugando e bem frios por causa da água. Durmo diferente se faço isso, as coisas ficam mais certas, mais confortáveis, mais fantásticas

Rir até a barriga doer: Sou tão besta pra rir que chega a ser constrangedor, mas eu adoro, é reconfortante. E se você me falar abobrinhas um pouco engraçadas, acredite, irei rir, mas não sei exatamente o que me faz ter crises de riso quase que infinitas que me fazem ter dores de barriga e chorar. Acho que rir de mim, dos meus amigos, das situações da vida, das palhaçadas, piadas sem graça, dos problemas que já passaram, dos micos é tão libertador, gostoso que não me arrependo de já ter passado por inúmeras situações constrangedoras por causa disso. 




Ouvir músicas/playlists adequadas pra cada situação: Nesse exato momento, depois de assistir a "Grey's anatomy" e ter um momento de epifania, estou ouvindo uma playlist motivadora que pode muito bem ser encontrada nesse site: http://www.superplayer.fm/. E simplesmente amo isso, amo quando as músicas se encaixam, quando elas falam com a gente e nos compreendem. 

Me sentir especial: Acordar, olhar no espelho e me achar bonita, interessante, inteligente por nenhuma razão. Que sensação! Ou quando faço algo e percebo que fui importante naquele processo, quando algo que fiz dá certo, quando percebo que não sou alguma coisa aleatória jogada no espaço. 

Quando ta chovendo pela manhã e eu não preciso sair da cama: Ai que sensação maravilhosa! Sentir a cama fria, o barulho da chuva, o cheiro e saber que você poderá aproveitar aquilo tudo deitada na sua cama. Como aqui em Recife quase sempre faz calor, quando tenho momentos de friozinho de 22ºC e posso aproveitá-lo inteiramente na cama é de arrasar meu coração de tanta felicidade. 

Andar de ônibus (Exceto naqueles excessivamente cheios e impossíveis de respirar dentro): Fico impressionada com a quantidade de pessoas diferentes no mundo e, quase sempre, percebo e penso sobre isso nos ônibus. Fico sentada lá observando as milhares de vidas ali, os pensamentos únicos, os milhares de problemas que parecem o fim do mundo, as cabeças, os modos de ver a vida. Acho lindo isso, essa quantidade imensa de gente e, principalmente, gente bem diferente.  

Tomar banho escutando música: Já amo tomar banho, lavar os cabelos bem e etc. Imagina isso com música? É quase um show para milhares de pessoas; canto, danço, encarno a diva e me divirto horrores. Ou, até quando preciso dos banhos mais introspectivos e não canto, nem danço, só reflito. Não há nada que um banho demorado com as músicas certas não possa consertar. Tudo se esclarece, fica no seu devido lugar depois de um desses. 




Observação: A ideia original desse post é um meme feito pelo blog http://macasverdes.com/ e se chama "12 coisas que abrilhantam meu dia", mas o vi pela primeira vez no So contagious, entretanto fiquei com preguiça. Ontem, quando vi no Following the snow, fiquei com vontade de fazer. E fiz.