22 setembro 2013

Feche os olhos e pense em algo bom

O tempo passa. O cabelo cresce. Os pés já andaram mais do que imaginávamos. As responsabilidades aumentam. O medo bate na nossa porta. O mundo nos cobra. E, então, a gente cresce.

Passei um tempo distante daqui porque eu estava em uma autodescoberta;  sinceramente, estava naqueles momentos introspectivos que a gente às vezes tem que se permitir pra poder analisar o que estamos fazendo da nossa vida e o que queremos fazer a seguir. Pelos textos antigos, vocês podem perceber que eu estava meio fora de mim, muito confusa, com medo, triste e mais um turbilhão de emoções juntas. E esse tempo pra mim foi imprescindível, eu me descobri no meio da minha bagunça, procurei lá dentro, arrumei as coisas, fiz a tão amada faxina que falei num dos posts anteriores e aqui estou.

Mais leve, mais equilibrada, mais alegre e com a certeza de que tudo acontece no tempo exato.

Pensando no que eu era há um, dois anos atrás, eu percebo a diferença da pessoa que eu era pra essa pessoa que eu me tornei. Sem querer, e, talvez, até sem perceber direito, eu cresci, amadureci e me tornei alguém melhor, com mais fé na vida e nas pessoas.

Não posso dizer que crescer foi fácil, acho que nenhuma mudança é, mas foi libertador demais. Agora, sim, eu percebo que todas as lágrimas não foram em vão, que as dores de saudade foram necessárias, que os risos desesperados também e tudo o que passei. Nada foi por acaso. Tudo aconteceu pra que eu me tornasse alguém melhor, mais forte, mais acreditada e serena.

É uma paz. É a certeza de que a vida é perfeita, mesmo que tenha algumas dores. É a serenidade de saber que tudo vai acontecer no momento certo. É a força de compreender que pra conseguir o que eu quero, tem de haver luta. É amor. Amor pela vida, pelas pessoas, pelos lugares, pelas lágrimas, sorrisos, abraços, dores, alegrias, pela natureza, livros, palavras, pelo vento que bagunça o cabelo, pelos pés machucados, mãos sofridas, olhos. É amor, acima de tudo, pelo que se é.




8 comentários:

  1. Que bonito isso Beatriz. Feliz demais por você. :)

    ResponderExcluir
  2. Fico feliz por você ♥
    Acho que por mais que demore, todo mundo todo mundo consegue se arrumar um dia... Aguardo ansiosamente pela minha vez rs
    E oh, enche esse blog de posts felizes que eu adoro teu jeito de se expressar <3
    Ah, obrigada pelo comentário lá no blog, serviu um pouco de consolo... Apesar de aquela questão do tempo que comentamos uma com a outra me ferir bastante... Enfim.
    Beijos ♥

    Novembro Inconstante

    ResponderExcluir
  3. Que bom que conseguiu dar conta da faxina mental e da alma. Faz tempo que venho tentando fazer a mesma coisas, mas sempre arrumo uma desculpa para protelar.
    Que essa fase dure dez anos, mas que você volte bem..isso é o que conta. Mesmo sem a conhecer, fico feliz e desejo um turbilhão de coisas maravilhosas em tua vida.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Sei como é toda a sensação anterior, e infelizmente não conheço bem a sensação que você tem agora. Acho que essa idade que a gente vive é muito de auto descoberta e é difícil fazer isso. Eu estou uma tremenda bagunça, inclusive falo disso direto, e fiquei contente ao ler seu post. Espero que isso logo "bata" em mim.. beijo

    ResponderExcluir
  5. Gostei das suas palavras. Esses momentos são importantes para ajudar que a gente se descubra mais um pouquinho. Ostra feliz não faz pérola, né?
    beijo!

    ResponderExcluir
  6. De fato, mudanças são doloridas ao passo em que são necessárias. E são exatamente essas dores que fazem a gente ver o tamanho da mudança comparando o que somos com o que éramos. Me deixa bastante feliz ver que você passou pela tal da faxina interior e saiu vitoriosa dela; e paz é uma das melhores coisas de se sentir, né?
    Beijão.

    ResponderExcluir
  7. Acho que a essência das pessoas nunca muda. Mas, sinceramente, é impossível dizer que as pessoas nunca mudam por completo. Se eu olho para a eu de hoje e a eu de dois anos atrás, putz, mudei e não foi pouco (ainda bem). Adorei o post.

    ResponderExcluir
  8. Crescer não é fácil não, mas depois que a gente consegue crescer um pouquinho não tem como voltar atras, tudo o que a gente aprende e nos faz amadurecer não pode ser tirado da gente. Acredito que a gente cresce toda vez que passa por algo difícil ou tem que lidar com alguma situação diferente da que lidamos no dia a dia.
    Ameis eu blog e pode me considerar uma leitora fiel dele haha
    beijão
    barradosno-baile.blogspot.com

    ResponderExcluir