23 março 2013

Como se não houvesse amanhã

Não costumo ir a festas, baladas, lugares muito cheios e afins; porque não gosto muito da multidão aglomerada, do barulho ensurdecedor e de algumas músicas que alguns Djs insistem em tocar. Porém, recentemente, ao ir para a formatura da irmã da minha amiga Bruna, mudei minha opinião a respeito de música alta feita para se dançar e festas DE VERDADE, diga-se de passagem.

Meu trauma com tais eventos é fruto das péssimas experiências que já passei nas festas que frequentei até meus 16 anos e, até, na minha própria formatura, aos 17. Nessas festas, baladas, discotecas, ou qualquer nome que você queira falar, as músicas predominantes eram do tipo: Bregas horrorosos, forró (até aceitável, mas não muito), funk e, recentemente, surgiu um novo tipo de que, na verdade, eu nem mesmo sei qual é o estilo, que são com letras com "novinhas" e outras barbaridades obscenas. Portanto, é perceptível de onde vem este trauma de lugares fechados com música alta e muita gente junta. Felizmente, uma luz no fim do túnel surgiu na minha vida.

Eu sempre gostei de dançar e viajar na música que, no momento, estou escutando ao mesmo tempo que danço. Por isso coloco os fones de ouvido quando o mundo ta muito pesado pra carregar e necessito de um intervalo que me faça querer continuar mais um pouco a caminhada e, então, danço. Danço muito. Sozinha. Na frente do espelho pra ser mais legal. E nesse momento eu me transporto, esqueço tudo que ta à minha volta e viajo. Mas isso nunca aconteceu em uma festa. Até esse ano.

Posso afirmar, categoricamente, que minha vida mudou depois que fui pra essa formatura, porque eu fiz tudo isso que faço sozinha em casa em uma festa, cheia de gente em volta e com nenhum pingo de vergonha (no começo eu estava meio sem jeito, mas depois me soltei). Agora você me pergunta por que isso aconteceu  em uma formatura, mas nunca em 16 anos de uma vida havia acontecido. E a resposta é muito simples: As músicas que tocaram eram realmente muito boas e, por isso, fizeram o favor de mostrar a mim que festas podem, sim, ser muuuito boas. Mesmo com gente bêbada do seu lado e com salto alto (sempre leve uma havaiana na bolsa) enquanto você pula loucamente ao som de complicada e perfeitinha, desejando que a música não acabe nunca e suas pernas aguentem mais um pouquinho, depois de cinco horas dançando sem grandes intervalos, você percebe que aquela foi uma das melhores noites da sua vida.

Por este motivo, pela minha libertação, pela minha, assim como fala meu pai, saída das trevas da ignorância para a luz do conhecimento, eu decidi fazer a lista das músicas que me fizeram sair do chão e ainda, me perder na sua letra. Logo abaixo vocês podem conferir algumas músicas que me fazem dançar e viajar ao escutá-las.


Dicotomia from Beatrizt on 8tracks Radio.


Beijos

10 março 2013

12 livros para 2013

Não sou o tipo de pessoa que  possui uma programação para ler ou já sabe direitinho aqueles livros que lerá no decorrer do ano. Pelo contrário, leio aquilo que, normalmente, se encaixa no momento em que estou ou, simplesmente, leio aquilo que me dá na telha no momento. Porém, como esse ano estou prestando vestibular, pelo segundo ano, para medicina, as coisas têm que ficar mais organizadas. Por causa disso resolvi fazer esse meme, para poder estudar, mas, também, não deixar de ler meu livros.



         "Divergente"                       "Marina"                      "A pirâmide vermelha"




                     "A extravagância do morto"              "1984"                            "Insurgente"




                           "Persuasão"               "Por isso a gente acabou"              "Morte súbita" 




                    "HP e a ordem da Fênix"  "HP e o enigma do príncipe"  "HP e as relíquias da morte"

Como já estou no mês de março, achei justo colocar 3 livros que já li correspondentes aos meses que já se passaram e ainda ao que ainda está passando. A maioria dos livros é emprestada como, por exemplo, toda a coleção de Harry Potter. Em relação aos livros de Harry Potter, fiquei meio em dúvida se colocava um representando toda a coleção ou se colocava os três que estou roendo as unhas para ler, então resolvi colocar os três que ainda faltam eu ler, porque estou me acabando na espera.
Depois de ver o vídeo da Michas sobre os 12 livros que ela queria ler, fiquei com uma saudade imensa do tempo que eu lia Agatha Christie, então resolvi pegar um dos livros que meu pai tem da Agatha e me interessei por esse. "1984 faz tempo que estou querendo ler, mas estava emprestado; já peguei de volta e, agora sim, vou ler. "Persuasão" é Jane Austen e Jane Austen é vida, então não poderia faltar nesse ano. "Insurgente" ainda vai lançar e é a continuação de "Divergente" que to doida pra que lance logo. "Por isso a gente acabou" faz tempo que leio resenhas só falando bem do livro, além do mais, o escritor é o mesmo da série "Desventuras em série" que é uma das minhas séries favoritas, então eu tenho que ler esse livro esse ano, impreterivelmente.

Eu espero, sinceramente, ler mais do que esses livros esse ano, mas, como eu não sei se vai dar tempo e nem sei como as coisas ficarão, fico, por enquanto, com estes e depois conto a vocês quais a mais eu li.

Observação¹: Esse post deveria ter saído há muito tempo atrás, mas o tempo não está colaborando comigo, por isso só estou postando agora, em meados de março.
Observação²: Eu queria tirar fotos dos livros, mas estou sem computador e nem todos os livros são meus, alguns são emprestados e ainda não estão comigo.