02 outubro 2011

Você é o que você lê


Esse foi o slogan da VIII Bienal de Pernambuco.
Essa frase me chamou muito a atenção, e fiquei me perguntando, então, quem eu sou?

Sou ação, sou romance, sou aventura, ficção, auto-ajuda,  filosofia, biologia e um pouco de conhecimento. Sou chick lits, confusão e paradoxo. Comédia romântica, matemática, ironia, sinceridade, orgulho, sensibilidade, suspense, timidez, amor, paixão, terror, amizade, física.Sou bula de remédio, rótulo de xampu,  rótulo de comida, placas de trânsito, hiperventilação, arrepios, beijos, abraços, lágrimas, dramas exageros, incompreensão, pleonasmo, incoerência, blogs, insegurança, tristeza, alegria, pulos, unhas, cores.
Sou tudo o que tem letras, palavras, frases, orações, períodos, parágrafos, textos, letras de músicas, contos, cronicas, narrativas, versos, estrofes...

Sou a Mia, Sofia, Liesel, Katniss, Ed, Tally, Jennifer, Nikki, Capitu, Robert Langdon, Alasca, Carrie, Penélope, Savannah, Aurélia, Percy, Cotoco, Isabella, entre muitos outros.

Sou a mistura, a junção, integração de todos eles, sou momentos vividos ali, sou viagens feitas sem sair do lugar, sou sensações, impaciências, ansiedades, sou tudo o que eles me proporcionaram. Os livros que li me fazem, me formam, me integram, juntam todos as cenas e me compõem por inteira.

Devo muito, tudo que hoje sou, a cada leitura que fiz, a cada personagem, a cada autor. Cada livro me trouxe lições, cada uma com sua importância. Hoje, não me imagino sem meus xodós, não me imagino sem um livro na cabeceira, sem a expectativa do próximo capítulo, sem a ansiedade em sabe o desenrolar da história, o final. A pessoa que sou hoje se deve, principalmente, às histórias que passei por meio das personagens dos livros que li, e a pessoa que serei amanhã será fruto, também, das minhas futuras leituras.