30 dezembro 2011

Retrospectiva literária 2011


Lidos em 2011
 A hospedeira (Stephenie Meyer)A breve segunda vida de Bree Tanner (Stephenie Meyer); Gone (Lisa Mcmain); A princesa sob os refletores (Meg Cabot); A princesa apaixonada (Meg Cabot); Antologia de poesia brasileira: romantismo; Soul love: A noite o céu é perfeito (Lynda Waterhouse); A menina que não sabia ler (John Harding);  Ponto de impacto (Dan Brown);  Desventuras em série: Sala dos répteis.(Lemony Snicket);  Senhora (José de Alencar)Desventuras em série: O lago das sanguessugas (Lemony Snicket); Desventuras em série: Serraria baixo-astral (Lemony Snicket); Desventuras em série: Inferno no colégio interno (Lemony Snicket);  O vendedor de sonhos: O chamado (Augusto Cury); O nome da rosa (Umberto Eco); O pequeno príncipe(Antoine de Saint-Exupéry)O zahir (Paulo Coelho) Christiane F., treze anos, drogada, prostituída... (Kai HermannHorst Rieck) O cortiço (Aluizio Azevedo); Being Nikki (Meg Cabot); Fazendo meu filme 1 (Paula Pimenta); Cotoco (John Van de Ruit);  A princesa à espera (Meg Cabot);  Estrelas tortas (Walcyr Carrasco); Eu sou o mensageiro (Markus Zusak)Os guerreiros do tempo (Giselda Laporta); Você é insubstituível (Augusto Cury);  Signo dos quatro (Arthur Conan Doyle);  O estudante (Adelaide Carraro); Akhenaton (Roger Bottini);  A passagem do anjo (John Sack); Jogos Vorazes (Suzanne Collins) Quem é você, Alasca?  (John Green) O mundo de Sofia (Jostein Gaarder);  Feios (Scott Westerfeld);  Harry Potter e a pedra filosofal ( J.K. Rowling);  Em chamas ( Suzanne Collins);  A ira dos anjos ( Sidney Sheldon) Desenrola (Juliana LinsRosane Svartman);  A guardiã da minha irmã ( Joddi Picoult) Perfeitos (Scott Westerfeld); Triste fim de Policarpo Quaresma (Lima Barreto);  Água para elefantes (Sara Gruen); Elixir (Hillary Duffy);  A garota dos pés de vidro (Ali Shaw) Conte-me seus sonhos (Sidney Sheldon); O céu está caindo (Sidney Sheldon);  Diário de uma paixão (Nicholas Sparks);  Razão e sensibilidade (Jane Austen) Tormenta (Lauren Kate);  Todas as estrelas do céu (Enderson Rafael);  Crescendo (Becca Fitzpatrick); Como treinar seu dragão (Cressida Crowel)

O casal mais apaixonante
O narrador do zahir (não é reveldado seu nome) e Esther. É meio complicado falar desse casal, porque eles são atípicos. Primeiramente, porque Esther desaparece sem deixar vestígios e o escritor - narrador- fica em busca de respostas, e isso toma toda a mente dele durante o livro. Segundo, porque eles não são qualquer tipo de casal como nos clichês, eles são mais profundos. Tudo por causa de Esther que incentiva o marido a amadurecer, e incentiva-o a ir em busca de seus erros para que o mesmo tente os corrigir, por tudo que ela faz, mostra como o amor que ela tem por ele é infinitamente maior do que meros problemas conjugais, ela quer vê-lo crescer apesar de qualquer coisa, e isso me tocou profundamente. Esse livro veio num momento certo e eu me apaixonei por essa relação tão intensa.

Virei a noite lendo
Esse é difícil, porque foram vários, mas vou tentar. O escolhido foi jogos vorazes, a dinâmica do livro, a escrita tudo me fazia querer mais e mais devorar aquelas páginas, então não me importei com comida, sono, nada... Esse foi, realmente, um livro que não consegui parar de ler. 

Chorei de soluçar
A guardia da minha irmã. Com toda a certeza esse foi o livro que mais arrancou lágrimas de mim. Primeiro, porque o final foi totalmente diferente do que eu esperava. Segundo, porque a Joddi ela escreve com a alma dela, então eu senti toda a agonia daquela família, senti o desespero daquela mãe, torci, fiquei em uma situação difícil; porque, eu, no lugar da mãe não saberia o que fazer, porque aquela situação não tinha nada a ver da coisa certa ou errada. Então foi muito emocionante, além do mais,  esse foi um livro que, no final, eu tive que parar de ler um pouco, porque não conseguia parar de chorar, assim, fiquei um tempo com o livro agarrado sobre meu peito e com a cabeça encostada no meu travesseiro.

Decepção do ano
A menina que não sabia ler. Todo mundo fala o quanto esse livro é genial, ok, talvez ele tenha sido tão genial que eu não consegui acompanhar. Certo que ele é bem escrito, instiga a imaginação, cria perguntas na mente do leitor e etc. Mas eu não gostei do final, ele me decepcionou completamente, as minhas perguntas - que surgiram ao longo da leitura- não foram respondidas e, por isso eu odiei e me decepcionou e ponto final. 

Livro irrelevante do ano
A passagem do anjo. Não fez nenhuma diferença na minha vida, além do mais, não consegui terminá-lo ainda.
Grifei
O mundo de Sofia. Tem como não grifar?? Na verdade, eu não grifei, eu marquei com posts-its. Filosofia de um jeito fácil, para iniciantes,ele é genial. Por incrível que pareça para mim, ele me fez gostar de filosofia, me ajudou na prova do vestibular, ele acrescentou em muito na minha vida e até hoje, eu tenho as citações dos grandes pensadores das outras épocas em minha mente. Então, muuito incrível, indispensável.

Abandonei
Triste fim de policarpo quaresma. Eu odiei o Major Policarpo, com seu jeito de aposentado patriota. Não consegui ler até o fim, porque foi terrível mesmo. Esse livro me deixa sem palavras.

Aventura, fantasia ou infanto-juvenil
Como treinar seu dragão. Quão adorável é esse livro?? infinitamente adorável. Fantasia, aventura infanto-juvenil de um jeito divertido e inteligente, a autora conseguiu juntar essas duas qualidades nesse livro e foi mágico. Me diverti tanto com Soluço e sua trupe e tirei lições maravilhosas de suas aventuras com os dragões, nas terras dos violentos vikings, onde soluço conseguiu se sobressair sem usar da ignorância e da força. 

Bate bola de personagens
Personagem masculino mais apaixonante: Ok eu me apaixonei pelo coronel Brandon de Razão e sensibilidade. Adorei ele desde a primeira vez que ele apareceu na história, simplesmente porque eu gosto de homens complicados.
Personagem feminina que eu queria ser:  Esther de O zahir.. Ter a coragem de abdicar de algo que você ama para o bem do outro? virei fã.
Personagem mais chato: Policarpo Quaresma, sem palavras.
Personagem mais perturbador: Clea de elixir. Garota sem sal e sem personalidade.
Personagem que mais me identifiquei: Não sei, mas acho que a mais perto foi a Elinor de Razão e sensibilidade, porque ela seguia muito a razão dela, deixava os sentimentos em segundo plano, muito racional, discreta e observadora.

                                                                    Quote do ano:
São vários, mas a maioria é grande, então vai esse que me marcou demais.
 "Tudo flui" Heráclito - Mundo de Sofia

O melhor livro de 2011
Essa eu deixo pra próxima, hahaha, beeijinhos :*

11 dezembro 2011

metáfora da

Os espinhos a estavam machucando, mais precisamente, estavam a machucar a palma da mão que segurava o que havia de mais precioso.
Mas escapou.
Deixou escapar.

Não aguentava mais sentir a beleza da rosa vermelha que segurava, e ao mesmo tempo, senti-la pesando em seus ombros doloridos de melancolia.
Mas a precisava.
Precisava daquelas coisas lindas que a rosa fazia ela sentir, queria ficar a segurando em cada instante do infinito, queria-a em cada parte de si, senti-la em sua mais íntima preciosidade.

Os espinhos.
Eles existiam e a machucavam, faziam-na sangrar.
Chorar.

A rosa, o que era de mais precioso.
Amava-a.

Mas escapou.
Deixou escapar.
Precisou deixá-la ir.


26 novembro 2011

Meus pés procuram pelos teus, te buscam, te encontram e se encontram.

                         

29 outubro 2011

Estou in love...


Como diz Caio Fernando Abreu "Esvaziei a mala olhei no fundo dela, limpei, e estou indo.. preenche-la com coisas novas. Sensações novas, situações novas, pessoas novas, Tudo novo."  

Para dizer a verdade, agora, apesar de tudo o que me aconteceu, apesar de todas as coisas que descobri e me decepcionaram;  eu estou in love, in love com a vida porque mesmo sendo um pouco bruta, ela é bem doce. Com as pessoas, que mesmo sendo um pouco infelizes, no fundo são pessoas alegres e bonitas. Com as plantas que me dão o oxigênio leve de cada dia, tão lindas. Com os animais que são meus irmãos e que nunca me abandonam apesar da minha inconstância. 

Ando apaixonada pelos meus sentimentos volúveis, minhas mudanças de opinião constantes, meus cacoetes, estou apaixonada, a cada dia mais, por mim, mais por mim do que por qualquer outra coisa. Eu, eu, eu, a pessoa mais importante da minha vida, mesmo com milhares de defeitos e instabilidades, sou eu que ta sempre comigo, sou eu que sempre me apoia, sou eu que acordo descabelada, me olho no espelho e vejo a pessoa mais incrível, sou eu, it's me, apenas. 

Ando apaixonada pelos pequenos detalhes que se completam e formam uma gigantesca belezura, apaixonada pelas palavras que me confortam em momentos difíceis, pelas leis físicas que me acompanham nos momentos de pura confusão, apaixonada pelos dedos calejados das mãos das pessoas, pelas unhas tortas que exemplificam a confusão da mente, pelas ruguinhas de vovôs e vovós, in love por filmes românticos, por séries fofas que me dão lições pra a vida toda, livros que sempre acompanham minha jornada, embaixo do braço, dentro da bolsa, na cabeça, na mão, no peito, no coração. 

Ando tão apaixonada por essas coisas leves, pelas pequenas belezuras que aparecem na minha frente. Um estranho a me dar um sorriso na rua, um gesto de gentileza feito sem querer nada em troca, um gesto de afeto, demonstração de carinho e amor de uma mãe para com seus filhos. 

São essas coisas lindas da vida que me alegram, iluminam, abençoam cada dia de dificuldade e me dão forças pra seguir em frente.

Estou tão in love... apesar de tudo.

15 outubro 2011

Corrente do bem


Recentemente meu professor de filosofia e sociologia colocou um filme para a minha sala assistir, o nome desse filme é ' A corrente do bem' e ele é incrivelmente belo, emocionante, para falar a verdade. Cada minuto do filme fez eu me apaixonar, fez as minhas esperanças nas pessoas aumentarem mais. Na verdade, o filme nos traz um momento de reflexão sobre o que estamos fazendo com a nossa vida.

E essa é uma questão que me atormenta faz um bom tempo. Eu sempre me pergunto, o que eu já fiz de bom nessa vida, qual foi a marca boa que eu deixei até agora, o que eu fiz para contribuir na mudança do mundo. Mas eu nunca consigo responder diretamente, curto e grosso, do jeito que eu gosto. E é por isso que essa questão me atormenta, porque eu não quero ser simplesmente alguém que não soma nada aqui na Terra, eu quero aproveitar essa minha vida da melhor forma possível, ajudando, contribuindo.

O filme, basicamente, trata disso. E ele é muito lindo, porque como sempre, veio no momento certo. Eu estava precisando de cada cena, cada palava falada ali.

A corrente do bem conta a história de um professor que, no começo do ano, faz a seguinte pergunta para seus alunos da 7ª série : " O que vocês poderiam fazer para mudar o mundo?" e ao decorrer do ano, esses alunos devem responder tal pergunta. É aí que surge Trevor, menino de 11 anos que tem a ideia de criar uma corrente, na qual ele começa ajudando 3 pessoas em coisas muito importantes na vida das mesmas, assim, depois, essas mesmas 3 irão ajudar mais 3 pessoas cada uma, e isso vai virando uma bola de neve. A ideia é realmente intrigante para um menino de 11 anos, porém ele não desisti de cumpri-la, mesmo que em alguns momentos ele falhe, e até pense em desistir.  A história vai se desenrolando em cima dessa ideia, e é muito emocionante cada parte do filme.

Trevor, com seu pequeno tamanho físico, mostra-se um gigante ao decorrer do filme, e me faz reascender a chama da esperança nas pessoas. O filme vale muito a pena, eu chorei no fim, porque é impossível não se sentir tocado pela simplicidade do garoto.

É isso, esse filme só fez comprovar a minha teoria de que as pessoas são, essencialmente, boas, mesmo que as vezes elas pratiquem alguns atos ruins, em momentos confusos. No fundo, elas são boas, eu acredito nisso e eu tenho esperança na mudança do mundo, porque se cada um quiser e fizer sua parte, o mundo muda.

Depois disso tudo, sabe o que me deixou mais feliz? Existe uma corrente do bem de verdade *--------*  Eu vou deixar o site aqui, porque se você se sentir interessado em contribuir nessa mudança,você participa dessa campanha, faça alguém feliz!

site da corrente do bem, com materiais e instruções acerca do projeto

02 outubro 2011

Você é o que você lê


Esse foi o slogan da VIII Bienal de Pernambuco.
Essa frase me chamou muito a atenção, e fiquei me perguntando, então, quem eu sou?

Sou ação, sou romance, sou aventura, ficção, auto-ajuda,  filosofia, biologia e um pouco de conhecimento. Sou chick lits, confusão e paradoxo. Comédia romântica, matemática, ironia, sinceridade, orgulho, sensibilidade, suspense, timidez, amor, paixão, terror, amizade, física.Sou bula de remédio, rótulo de xampu,  rótulo de comida, placas de trânsito, hiperventilação, arrepios, beijos, abraços, lágrimas, dramas exageros, incompreensão, pleonasmo, incoerência, blogs, insegurança, tristeza, alegria, pulos, unhas, cores.
Sou tudo o que tem letras, palavras, frases, orações, períodos, parágrafos, textos, letras de músicas, contos, cronicas, narrativas, versos, estrofes...

Sou a Mia, Sofia, Liesel, Katniss, Ed, Tally, Jennifer, Nikki, Capitu, Robert Langdon, Alasca, Carrie, Penélope, Savannah, Aurélia, Percy, Cotoco, Isabella, entre muitos outros.

Sou a mistura, a junção, integração de todos eles, sou momentos vividos ali, sou viagens feitas sem sair do lugar, sou sensações, impaciências, ansiedades, sou tudo o que eles me proporcionaram. Os livros que li me fazem, me formam, me integram, juntam todos as cenas e me compõem por inteira.

Devo muito, tudo que hoje sou, a cada leitura que fiz, a cada personagem, a cada autor. Cada livro me trouxe lições, cada uma com sua importância. Hoje, não me imagino sem meus xodós, não me imagino sem um livro na cabeceira, sem a expectativa do próximo capítulo, sem a ansiedade em sabe o desenrolar da história, o final. A pessoa que sou hoje se deve, principalmente, às histórias que passei por meio das personagens dos livros que li, e a pessoa que serei amanhã será fruto, também, das minhas futuras leituras.








04 setembro 2011

singela homenagem.


Faz uma semana hoje que tudo aconteceu. E eu ainda me pego relembrando todos os momentos que passamos juntas, todas as vezes que rimos juntas, que compartilhamos. Cada música cantada e dançada, cada brincadeira feita, cada ensinamento e situação que passamos... Tudo passa como um filme na minha cabeça.

A vida é assim; pega-nos de surpresa,  mexe com a gente, prega umas peças tão difíceis de encarar. Foi tão rápido, tão repentino.

Fico te imaginando aí com papai do céu e vovô, sei que Deus foi gentil contigo. Levou-te para o lado dele, sem nenhuma dor; como diz Lorena, prefiro imaginar - e acredito nisso- que você só sentiu uma cosquinha, no lugar da dor. Você ta amparada, ta bem e a gente vai se encontrar, nós, todos da família, vamos nos reencontrar e eu vou te dar um abraço apertado, vou te dizer o quão você é especial pra mim, pra todos.

Sentiremos saudades, mas a certeza de que você ta aí nesse mundo, amparada por amigos, nos acalentará. No começo vai ser difícil, vai ser muito difícil. Mas haverá esperança, haverá força e vibrações para fortalecer aqueles que mais necessitam de apoio.

Você nasceu, viveu e se foi para nos ensinar algo nobre, bonito. Que cada um de nós, familiares, pegue essa situação e a transforme em um ensinamento belo, porque nada é por acaso e tudo isso aconteceu para nos ensinar algo. Que haja força, esperança, fé em Deus. E que tudo de bom sempre aconteça com você.

Eu te amo, todos te amam e você é uma pessoa muito querida para todos que ainda estão nesse mundo - e para os que não estão, claro. Espero que você seja sempre uma pessoa feliz, porque você merece. Você sempre estará conosco. Com todo o meu carinho.

Prima, neta, filha, sobrinha, amiga, irmã. Maria Eduarda.